Institucional

Vara da infância e juventude

 

O Comissariado de Proteção à Infância e Juventude da Comarca de Formiga é órgão do Poder Judiciário do Estado de Minas Gerais.

 

Juizado da Infância e Juventude é a nomenclatura usada para designar a equipe formada pelo Juiz de Direito, pelo Comissariado e pelo Serviço Psicossocial Judicial da Infância e Juventude.




 

Pacto pela juventude

 

Compete à família, à sociedade e ao Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, conforme previsão do artigo 227 da Constituição Federal.

 

Vivemos um momento de desordem institucional e familiar. Grande parte da população não mais tem ou impõe limites. Jovens com valores deturpados, vivendo, basicamente, num mundo de permissividade. Inversão de valores. Troca-se, naturalmente, a noite pelo dia, com a aquiencência dos pais. Vivemos num grande sistema, onde o que ocorre com uns afeta aos demais, como num conjunto de engrenagens.

Sendo omissos, corremos o risco de nos tornarmos vítimas daquilo que criarmos ou deixarmos criar.

 

Seremos responsabilizados pelo mal que fizemos, e, também, pelo bem que deixarmos de fazer.

 

Da união de todos, independente da origem pública ou privada, independente de crenças religiosas e livres de vaidades pessoais ou institucionais, marcharemos juntos nessa caminhada em prol do resgate da dignidade de nossos jovens, em busca do respeito e da sensibilidade, com certeza de vitória, amparado nos mandamentos de Deus e no ensino de nosso irmão Jesus.

 

Amar a Deus sobre todas as coisas, de todo nosso coração, e ao próximo como a nós mesmos”, essa é a proposta maior, que, por certo, nos estimulará na caridade, fraternidade, solidariedade, fazendo aflorar nossa sensibilidade, de forma a ajudar nossos irmãos mais carentes e desprovidos de saúde, educação, carinho e afeto.

 

Portanto devemos "Fazer aos outros o que gostaríamos nos fosse feito nas mesmas circunstâncias".